Novo livro aborda relações mediadas pelo Atlântico

A EdUFSCar está lançando o livro "Cuidar do espírito e do corpo entre o velho e os novos mundos (séculos XIII - XVIII)", organizado por Susani Silveira Lemos França e Ana Carolina de Carvalho Viotti.

Em 16/12/2019 15:25

Entrevista por CCS UFSCar

Novo livro aborda relações mediadas pelo Atlântico

O livro surge do desejo de conciliar as preocupações de dois grupos de pesquisa com objetivos confluentes e trabalhos conjuntos: o grupo luso-brasileiro "Raízes Medievais do Brasil Moderno" e o grupo "Escritos sobre os Novos Mundos". O primeiro é formado por pesquisadores experientes provenientes dos dois lados do Atlântico, de diferentes universidades portuguesas e brasileiras e com o apoio da Academia Portuguesa da História. O segundo, financiado pelo Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) entre 2011 e 2013 e, desde então, pela Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo (Fapesp) na modalidade Projeto Temático, é formado por pesquisadores de diversas gerações. "A proposta do livro, conjugando as pesquisas desenvolvidas nos dois grupos, foi debater um tema fulcral da civilização ocidental: os sustentáculos de uma moral cristã transplantada, dirigida ao mesmo tempo aos cuidados com o corpo e à saúde da alma. Dois planos que, de formas diferentes ao longo da história, estiveram muitas vezes articulados", afirmam as organizadoras.

A obra aborda múltiplas relações sociais e culturais mediadas pelo Atlântico entre os séculos XIII e XVIII, com ênfase sobre instrumentos moralizadores que, ao longo dos séculos, contribuíram para estabelecer um modo de viver qualificado como virtuoso, sustentado na ética cristã e focado ora no corpo, ora na alma, ora em ambos.

Entre os três alvos do livro, o primeiro é destinado a destacar a importância de refletir sobre os pecados, por meio da meditação sobre o passado e a cogitação sobre o futuro, contemplando, por um lado, rituais, sentimentos familiares, sensações, formas de devoção aceitas ou condenáveis, receios e temores experimentados em situações conflituosas ou desoladoras, vividas ou imaginadas. O segundo alvo são os juízos sobre outros povos, com ênfase nas apreciações e avaliações sobre as aparências e os costumes alheios, a partir de certos fundamentos espirituais e morais do que se manifesta nos atos e nos aspectos.

Na última parte, a obra se dedica às recomendações para sanar os males do corpo, sem perder de vista que muitos deles teriam origem em falhas espirituais e deveriam ser interpretados como sinais de Deus. Alimentos recomendáveis, unguentos, líquidos e substâncias dedicados aos cuidados com o corpo e lugares destinados à prevenção de doenças ou à cura se encontram no rol dos assuntos abordados.

"O livro está estruturado em torno de três ações sintetizadas por verbos com claro teor moralizante - pensar, olhar e emendar/remediar. Esses verbos foram selecionados como condutores por sintetizarem um conjunto de práticas correntes ao longo de praticamente cinco séculos de partilha de valores e padrões morais entre a Europa, nomeadamente Portugal - mas com alguns ganchos com outras partes -, e o além-mar, com ênfase no Brasil. Tais ações deslocam-se entre princípios valorativos e aplicações práticas, cuja eficácia depende de um jogo entre crenças, necessidades, utilidades e ideais. Jogo que é examinado no livro a partir das reflexões sobre o binômio corpo e espírito, sistematizadas em impressões, sentimentos, percepções, prescrições, restrições, cuidados, recomendações e tratamentos", detalham França e Viotti.

Mais informações, clique aqui.


Tags da postagem

civilização ocidental Corpo alma